OPINIÕES DIFERENTES – PARTE DOIS


Salve Deus!

Dai água e pão para quem tem sede e fome de compreensão. Depois, desta viagem, Pai Seta Branca veio atender esta missão.

Os caminhos nunca são e serão iguais para todos, porque o sacerdócio se divide em experiência, em conhecimento e principalmente na multiplicação deste pão nosso de cada dia. No mundo espiritual vamos em missão e na terra cumprimos nossos juramentos.

Eu, nesta quarta-feira, ao abrir o comando central, vi que o templo se iluminou. Sim, é uma luz diferente, ela atinge nossos olhos espirituais, tudo se alegra, tudo se modifica. É algo espantoso, um além que do nada surge em nossos caminhos trazendo os elos da nossa imaginação.

Foi, então, que a ninfa veio e foi trabalhar nos tronos. Ali, toda a razão, todos os mistérios são revelados no silencio mental, pois ela trazia também em sua aura os enfermos, sua mãe, que com problemas de saúde física precisava passar neste atendimento. Pai Seta Branca é amor e ele mesmo atendeu esta senhora em espírito, dando ao seu reino o conforto de uma grande jornada, as suas heranças transcendentais.

A coisa mais preocupante para nós, seres humanos encarnados, é a doença física que nos arrasta para a dor da revolta. Pensando acontecer somente com a gente esquecemos do próximo que perde a esperança e a fé em sua cura. Somos, de alguma forma, ligados e interligados pelas heranças que somam ao nosso caminho as pequenas pedras dificultando o regresso. Então, estas pedrinhas, formam o descuido existencial, pois na ultima hora do suspiro, ele separa os pensamentos e vai tornando escasso a água da vida eterna. Seta Branca tem acolhido os meus irmãos, espíritos e físicos, de uma forma diferenciada, sim, como falei acima, ninguém é igual nesta conjuntura de respeito e desrespeito.

Somos físicos e trabalhos para o físico. Mas no além, lá onde ninguém vai fisicamente, o espírito se desdobra em mil para garantir o cumprimento de sua integridade. A senhora mãe desta jovem sentou-se no aparelho e Seta Branca com muito carinho fazia sua limpeza. As cargas iam sendo manipuladas pelas mãos da doutrinadora eliminando as impurezas da aura. Nesta viagem sobrou para mim e para minha ninfa esposa, mas tão logo na contagem das estrelas Seta Branca pediu ao povo de cachoeira, das águas, das aruandas, das matas frondosas e virgens, para nos curar. Um espetáculo de outro mundo, pois as energias fluíam deste sol maravilhoso e simétrico, dando a cada um participante do trabalho uma pérola divina.

A mãe desta missionária recebeu a energia luminosa para a cura de sua dor. Ela tem uma veia entupida na cabeça e não pode fazer a cirurgia na medicina terrestre sob o impacto de desencarnar. Por isso Seta Branca veio para traduzir a sua mensagem, pois sendo de outra crença, ela teria que vir pessoalmente para se tratar. Antiga preta velha do ano de 1800, onde na senzala recebeu o recomeço em sua jornada. Mãe Etelvina a acompanha de perto, trazendo a luz do Evangelho em seu coração, em suas palavras.

A eternidade batendo em nossas portas e nós cegos palpando esta terra pisando e desagradando os senhores da evolução. Assim somos nós terráqueos desgarrados da verdade.

Salve Deus!

Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
07.09.2017

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta