HORA DA VERDADE

Salve Deus!

 

Eu não vejo à hora de haver uma grande transformação nestes caminhos terrestres, principalmente em nossa missão.

 

Na terra os cegos estão guiando os mais cegos, mas no céu é que vemos a grande realidade das consequências desta viseira karmica. A luta do mundo espiritual para não deixar ou se deixar perder na meta missionária é muito grande, mas na terra as ilusões estão contaminando até os mais humildes.

 

Eu vou para cima, vou buscar o que me pertence, mas ao contrastar com as cenas que se ligam pelo reino coronário vejo que o nosso amanhecer está se tornando um escurecer. Os olhos tapados pelas inverdades estão camuflando o sol interior que já enfraquecido em sua harmonia despede-se da autoridade celestial. Será que as portas irão se fechar novamente, ou não.

 

Eu estava em um grande templo, tudo bonito, tudo feito com o maior capricho, refletia uma riqueza considerável, mas de repente ele começou a desmoronar. Começando pelas vigas, depois colunas até chegar ao alicerces. O momento mais crucial foi que todos estavam acomodados em seus aledás e não queriam arredar seus pés, pensando perder seus postos dentro desta hierarquia. Mas mesmo vendo o desmoronamento não aceitavam aquilo como prova da transformação viva e resplandecente.

 

Seta Branca comunicou em muitas mensagens tudo que a terra irá sofrer, mas os homens desta tribo sequer prestam atenção em si mesmo, eles olham primeiro seu vizinho, e com muito custo aceitam tentar mudar seu padrão espiritual.

 

Eu queria segurar esta pilastra que estava ruindo, tentei de todas as formas, e mesmo ela apoiada em minha cabeça eu buscava em cada coração a força do jaguar. Jaguar filho de Neiva, Jaguar espírito espartano, jaguar força da terra, mas eles não estavam nem aí para o que estava acontecendo, estavam amarrotados em seus uniformes com medo de tirar e alguém lhes roubar.

 

O meu sentimento naquele momento era largar tudo aquilo e que cada um prestasse contas dos seus atos pagando seus karmas como juraram na eternidade. Mas mesmo assim eu segurava aquele peso em minha cabeça, pensava em ter ajuda, mas não, as vibrações ainda eram mais um peso colocado em minhas costas. A que preço nós devemos pagar uma evolução.

 

O amarelo se confundia com o vermelho e o roxo transfigurava-se pela dor. Abri o grande véu e vi que ainda existe esperança de que as forças reapareçam novamente sob a bandeira rósea de Jesus e ela reassuma sua nobre missão de restabelecer a lei. Os homens perderam suas diretrizes e amargamente estão pagando o desvio de conduta.

 

Os espíritos dos vales das sombras não querem que este amanhecer progrida em sua essência divina. Eles, então, estabeleceram um cronograma de motivação entre seus adeptos para que cada um que suba se infiltre nas rédeas do destino dos caminheiros e atue de forma a desviar os pensamentos, digo, materializar seus sonhos de grandeza.

 

Se cada jaguar sentisse os efeitos desta condição estaria com –0-// em Cristo Jesus com sua espada em honra e guarda. Não estaria sob a vigilância do mundo negro, mas seria um doutrinador a manter a ordem da luz direta.

 

Não adianta somente colocar o uniforme e ir para os templos. É preciso abrir seus corações para esta missão e com toda certeza empregar o seu amor na conquista cada dia mais de nossas árduas estradas. É ser o mensageiro de Deus aos homens que se perderam pela falta de fé.

 

Eu estou na ponta da lança e ela está ferindo meu corpo.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

04.09.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta