SIMPLICIDADE

Salve Deus!

 

A simplicidade é a base para reaver muitas ligações espirituais.

 

Eu e minha ninfa estamos em um canal sensorial ampliado, pois a abertura das dimensões nos coloca diante desta prerrogativa de participar sem participar. A transformação de nossas vidas físicas estabelece o cronograma da vida missionária espiritual, sim, pois como disse Jesus: Meu reino não é deste mundo.

 

Eu e Zélia recebemos a visita espiritual de um casal, ela ainda vive encarnada, ninfa sol deste templo, e ele é seu irmão espiritual, da sua origem, da sua família além terra. Ela veio nos apresentar este irmão com todo carinho, porque foi um reencontro esperado a milhares de anos. Ao chegar aqui em nosso lar, eles, simplesmente, fazem parte de nossa compreensão, porque para se chegar ao conhecimento nós precisamos da chave iniciática.

 

Ela estava nos apresentando e falava para ele que nós dois agora vivemos para nós dois, sozinhos. Ele compreendia bem, pois vinha de uma origem onde se respeita os laços familiares. Eu e minha esposa ficamos felizes, sabe, havia uma humildade tão bacana naqueles dois que nos fazia bem, não era interesse material, mas era algo diferente, a ligação do espaço com a terra.

 

Conversamos muito, mas tinha mais uma criança aqui que representa um poder imensurável e que está trabalhando nos bastidores para formar o canto das origens. Vocês sabem o que seja o canto das origens! Eu escutava ela falar com alegria dentro do seu coração. Pai Seta Branca e Mãe Iara promoveram este reencontro para trazer a felicidade aos encarnados.

 

Conforme eu ia fazendo outras coisas ele ia me acompanhando com os olhos. Ela, a ninfa sol, ficava mais com a Zélia ajudando a construir um caminho de igualdade. Os espíritos que realmente tem um caminho de responsabilidade se tratam com distinção na verdadeira escola do caminho. Sem mácula e sem medo para com coragem enfrentar suas juras transcendentais.

 

A minha vida já foi de grandes conquistas e acabei perdendo os laços de uma evolução por não entender as oportunidades que Deus dá na sua avaliação karmica. Realmente, reis e rainhas, sacerdotes e escravos, cientistas e leigos, a vida estabelece parâmetros de desigualdade encarnatória. Tudo para reaver o sentido da nossa missão.

 

O jovem irmão ficou aqui nos assimilando e viu a nossa simplicidade, mas viu outra forma de vida alimentada por valores além céu. Ele se sentiu bem, pois havia uma preocupação com sua irmã, dela não ser enganada pelos falsos profetas. Foi muito rápida a sua chegada neste caminho, precisamente para formar uma opinião consistente e levar esta mensagem aos seus familiares espirituais.

 

Simplicidade. Vejam bem que não podemos nos confundir pelas mascaras do destino karmico. Quanto mais simples for o missionário, o médium, mais espaço ele terá nas camadas superiores. Se um médium tem ouro no seu coração ele fica pesado e não segue seu destino. Esvazie seus bolsos e conquiste a sua liberdade para poder viajar, ir e vir, sem medo de ser feliz. Não que se torne pobre material, mas nada vos impede de ter a sua riqueza na terra e no céu, sabendo distinguir as duas coisas.

 

Ninguém sabe o que seja bom. Alimentar seu corpo físico é essencial, mas alimentar sua alma é divino, é algo que se liga ao universo, é a sabedoria ampliando seu horizonte. Quem consegue equilibrar os dois mundos, coração, consegue manter o equilíbrio mental transmutando de um ciclo ao outro sem perder sua identidade. Então, para manter estas duas linhas da vida é necessário o conhecimento de ambos os campos, dando a cada um o seu melhor momento.

 

Ficamos um bom tempo nos conhecendo pela integridade espiritual. O jovem rapaz sentado no banco da mesa, ela, a ninfa sol ajudando minha esposa, e assim foram contados os minutos deste encontro. Como sempre há os momentos de encerrar as visitas, pois o dia estava clareando e o sol fecha os portais da lua. Eles se despediram, ela deu um grande abraço no seu irmão, felizes, lágrimas de amor familiar, não queriam se separar, mas o céu estava aguardando a despedida. Ela voltou para seu leito e ele subiu encerrando este acontecimento.

 

Ficamos novamente só nós dois, eu e minha esposa, olhando aquele quadro das famílias em suas eternas buscas pelos seus amores. Muito nos agrada quando temos a rica e feliz oportunidade de servir como instrumento de paz nestes reencontros espirituais. Vocês não podem imaginar o que seja tudo isso, o que é ser instrumento da verdade, sem crescer a vaidade, sem demonstrar egoísmo, sem fechar sua porta que se liga da terra com o céu.

 

Ser missionário é ter simplesmente um coração cheio de esperança, onde as rosas perfumam seu destino. Não é ficar dependurado no karma se tornando doente pelas juras em vidas passadas. Ser ou não ser.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

25.08.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta