JAGUAR

Salve Deus!

 

A vida de um jaguar.

 

Nós vivemos ainda camuflados pelos conflitos de nossa existência. Ser um mestre deste amanhecer é estar prontamente ligado com suas armas em punho para oferecer uma orientação. Como no caso deste espírito, deste irmão, que ainda está adormecido pela sua variação karmica.

 

Ele está preso ao seu sonho. Ainda encarnado nesta terra ele vive na sua alucinação do conforto que sua inteligência proporcionava ao lidar profissionalmente com agilidade de raciocínio para usufruir monetariamente dos envolvidos.

 

Ele estava preso a este sonho e gritava meu nome. Na terra ele estava dormindo, mas espiritualmente acordado dentro de uma dimensão criada em seu mundo. Os espíritos criam suas dimensões e vivem dentro delas como se fosse na terra. Então, ouvindo este clamor, Betezek, Betezek, eu entrei neste sonho e cheguei até ele. Era um hotel chique e no restaurante havia muitas mesas com comida farta. Ele estava numa destas mesas, sozinho, seu espírito articulava como investir para conseguir.

 

Quando cheguei perto dele, ele pediu para eu me sentar. Mas logo foram chegando outros três homens que seriam parte deste enredo. Fui apresentado por ele como profissional e também como sendo doutrinador. Os três ficaram apreensivos comigo, porque eles não esperavam mais ninguém nesta reunião. Sentei-me meio espremido, pois éramos cinco em uma mesa de quatro. Assim ele gesticulava contando sua forma de abrir as portas politicamente de quem conhecia.

 

Eu fiquei ali sentado ouvindo, que por sinal, falava muito bem, mas a vida lhe cobrou um preço muito alto pelo itinerário de sua conduta. O sinal da cruz foi modificado pela sua cor negra. Ele era negro, sim, mas era um bom homem, um bom pai, era meu amigo na terra e aqui onde estamos continuo respeitando sua forma de ser. O livre arbítrio é algo que ninguém pode se intrometer, nós podemos participar com nossa idoneidade, mas jamais querer mudar o destino. Muitas vezes somente com nossa presença com responsabilidade e respeito ao próximo conseguimos pela visão conscientizar uma pessoa. Não metendo o dedo na ferida, mas nos fazendo de espelho.

 

Foi isso que eu tentei mostrar em vida a este irmão. Mas observando o destino ele não demonstrava aceitação, pois sua inteligência não o deixava ser humilde. A humildade não é ser ignorante, é simplesmente ser diferente. É respeitar seu próximo como ele é sem se debater entre a certeza e a incerteza.

 

Por vezes eu o ajudei profissionalmente e sem receber nada em troca. Fiz um esforço danado para tentar de alguma forma ele enxergar o seu futuro. Na terra, hoje, ele sofre esta transformação física, pois o dinheiro acaba e ficam as ilusões materiais. Eu fico apreensivo com o desgaste físico espiritual que ele está tendo, mas seu espírito não aceita sua transformação e vive preso em sua dor.

 

Fiquei ali somente para observar e nem em meu silencio ele acordou. Olhava para ele e telepaticamente emitia meu pensamento como tentativa de tocar seu coração. Mas estava bloqueado, havia um bloqueio carnal que era seu karma. O espírito dele poderia acordar para sua evolução, mas o físico não tinha reflexo algum de ser atingido. Eu fiquei observando aquele fiozinho que se liga do físico ao espírito. Havia no meio dele um nó e nada poderia ser feito para desfazer.

 

Ele vive em dois mundos separados. Uma coisa na terra e outra coisa nos sonhos. Não é o mundo espiritual, são seus sonhos criados em seu mundo abstrato. Ele criou estas imagens e vive dentro delas.

 

Tudo aquilo era uma ilusão espiritual. Não havia interligação, mas estes espíritos que chegaram depois eram parte desta ilusão. Mas o que eles estariam fazendo dentro deste cenário. Era parte do seu karma espiritual, eram as suas vitimas se passando por seus clientes. Estavam engolindo sua inteligência e fazendo ele viver no mundo das fantasias. Assim estava mais fácil de cobrar centil por centil a sua divida.

 

Eu não consegui muita coisa nesta viagem. Consegui somente chegar até ele e entrar no seu sonho. Espero que ele se cuide e coloque seus pés no chão. A vida é uma bênção rara que poucos detêm ela na sua condição evolutiva. Se todos vieram para se evoluir que cuidem deste estágio vegetativo e mantenham em ordem sua disciplina mediúnica. Não atravessem este caminho sem antes conhecer a si mesmo.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

13.08.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta