ROUPAGEM

Salve Deus!

 

A roupagem, na terra, significa a aura do ser humano e o seu desenvolvimento natural espiritual.

 

Eu estava aqui na varanda quando olhando para o templo chegou uma mensagem. Estas orientações vêm dos planos luminosos de Deus para confortar nossos corações.

 

_ Meu filho! Hoje é o dia do seu Ministro!

 

Sim, Salve Deus, hoje Ministro Apurê veio abençoar seu povo. Como o frio está interferindo na presença dos mestres vamos marcar para sábado que vem a vinda do Apurê.

 

Olhando bem para a mensagem vejo que cada espírito encarnado se difere do outro pela sua roupagem. Uma espécie de túnica que a pessoa se reveste conforme a sua jornada. Cada aura reflete o comportamento da pessoa na sua personalidade, mas principalmente na sua individualidade deveria refletir a sua evolução.

 

Firmando bem a mente nas projeções cósmicas vemos a trajetória de cada pessoa neste planeta. Umas mais tranquilas, outras mais apressadas, sim, pois nós refletimos a nossa necessidade karmica. O espírito quando está em estado de graça ele modifica seu padrão e começa a nortear sua verdadeira história. Este estado emocional traduz a centelha de sua vida e ali ele prepara e repara seu coração.

 

Nós somos o que somos pelo nosso comportamento.

 

Um a entidade de grande hierarquia só desce no aparelho quando sente que há espaço para formar seu aledá e nunca descerá no coração onde as trevas se perpetuam. Quando há espaço ela toma seu lugar e quando não há ela somente projeta sua presença. Existe então esta diferença de comportamento, entre incorporação verdadeiramente dita e a projeção através do canal sensorial.

 

Um coração limitado pela negatividade não recebe nada, aliás, passa a alimentar os elitrios de sua condição sofredora. Não há incorporação, mas uma troca de energia, pois passa a transferir energia vital para seu obsessor. Não há nada que o impeça de trabalhar no templo, há somente certa desconfiança na expressão da verdade. Para isso existem os mecanismos deixados pela clarividente que ajuda a formar o sol interior para receber o testemunho da sua missão.

 

Vamos esclarecer mais um pouco:

Nós somos espelhos que a luz reflete e irradia onde for projetada. Digo, se você mirar seu espelho contra o sol e direcionar ele, reflexo, ele vai atingir com precisão. Agora, se você não souber manejar esta espada, ao invés dele abrir espaço no etéreo plano, ele se perde na obscuridão dos desejos. É como se nada tivesse acontecido e nada retorna, pois tudo se apagou. Ali naquele momento se forma uma nuvem cinzenta que tapa o seu sol.

 

Vendo o cavaleiro ligeiro que me trouxe esta mensagem à gente se acostuma a entrar na dimensão imediatamente. Pela terra nada se torna realidade, pois os fatos se contradizem e somente após estar na obra divina é que reparamos em nós mesmos. A sua roupagem se difere das demais, porque ela é esvoaçante, parece que sempre o vento está soprando nela pelo movimento constante.

 

DEIXO MEU CONVITE PARA SÁBADO PRÓXIMO ESTARMOS REALIZANDO ESTA BÊNÇÃO!

Para isso convidamos os mestres e ninfas para que venham preparados com suas indumentárias para este evento. Ministro Apurê é o nosso comandante que assumiu este continente para esclarecer a todos nós. A vida segue seu destino e nós seguimos junto. Nada mais justo do que estarmos em sintonia.

 

Os trabalhos no templo físico continuam acelerados para acomodar o que está chegando. Pena que muitos não se atentem para a grande responsabilidade que é ser um missionário de Seta Branca. Quando somos parte desta tribo nós nos unimos e não nos dividimos, mesmo nas horas difíceis, nós nos colocamos na missão do Mestre Jesus, quando nos disse:

”Não penseis que vim trazer paz a Terra; não vim trazer paz, mas espada”. Mateus 10:34.

E mais:

“Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, Me odiou a Mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário dele vos escolhi, por isso o mundo vos odeia” (João 15:18 e 19)

Quem dentre todos nós tem o esclarecimento da verdade! Julgar é uma ferramenta fácil de ser usada, mas aceitar o próximo é como um punhal enfiado no peito que pode se voltar contra vós mesmos, pois as palavras, na terra, são como o vento que se apaga, apagando a chama da vida.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

06.08.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta