RECEPTOR

Salve Deus!

 

_ Estou em casa!

 

O tele transporte é algo bacana quando se tem domínio das faculdades mediúnicas, mas ele não tem valor se não tiver um receptor ao alcance de sua maravilha.

 

O sistema mediúnico se desenvolve gradativamente, sem forçar o seu estágio procurando ingressar na magia pelo esforço. O médium dever saber que existe uma lei e esta lei impede o avanço como proteção do seu padrão mental. Vamos então pela natureza, devas, pois a simplicidade é algo extraordinário que se aprofunda na ciência esotérica sem deixar marcas pelo corpo e pelo espírito.

 

Esta noite foi de muito trabalho, mas este trabalho espiritual sem ter sua base na terra sofre o temperamento do ectoplasma que vicia o físico deixando a mercê o espírito para cargas diversas.

 

Eu estava aqui prescrevendo o meu sistema quando chegou um irmão, um doutrinador, já se sentindo em casa. Eu olhei para ele, eu o conheço, sei de sua vida em Minas Gerais. Acho que nem ele saiba do ocorrido, porque, como disse, tem que ter um receptor que organize estes tele transportes. Não vou dizer nomes para que tudo seja simples, pois a vaidade em saber torna o veículo perigoso e pode sofrer acidentes.

 

A espiritualidade é muito sábia, ela guarda estes segredos para que seus filhos não se destaquem ou se isolem da sua missão pelo fato de terem certeza dos fenômenos espirituais. A pior coisa que pode acontecer a um missionário é ele ter certeza que pode fazer certas coisas e isso o torna diferente ou indiferente ao sistema.

 

Quando eu estou no espiritual carrego dentro de mim sempre a mesma filosofia de servir e não ser servido, pois é à força de um comando que se transfere pela necessidade de caridade. A caridade é algo espontâneo que se dilata pelo amor e pela razão ensina o caminho da verdade. A pior coisa para um mestre é ele ser desobediente ao sistema espiritual, porque ele rompe o véu na hora que ele nem imagina trazendo para si os ajustes e reajustes do seu karma. Quando isso acontece, ele fica perdido e tentando levar outros no mesmo caminho. A dor de um mestre é resultado de suas falhas.

 

Tenham certeza de uma coisa: Sejam simples, mas mantenham o equilíbrio e mostrem que são mestres preparados para lutar, para resgatar, para modificar seu mundo. Os três reinos de nossa natureza nos mostra que somos diferentes dos nativos, mas se brincarmos nós nos tornamos iguais e perdemos a essência divina.

 

O jaguar então chegou aqui para me dizer que agora estava em casa. Esta casa que ele se referiu é o seu mundo através da transformação do sol interior. Quando eu me referi a este lado oculto foi para tentar chegar ao ápice da memória astral de cada um que se desprendesse de sua jornada. Vendo Jesus quando curou um jovem, ele disse: vá e mostre aos sacerdotes que você está curado. Ele não saiu dali para mostrar o resultado, foi aí que Jesus confirmou em verdade que ele estava curado. É isso que eu preciso confirmar a todos, pois não precisamos mostrar quem nós somos e nem o resultado de nossas pesquisas somente para nos envaidecerem.

 

O degrau da evolução é um perigo para o jovem mestre. Ele sobe com dificuldade, mas desce tão rápido como num piscar de olhos. Quando estamos nos evoluindo nós temos certeza de estar na luta pela conquista do nosso sol interior. Nosso espírito sofre a mutação direta pela sua natureza e nosso corpo fica mais leve a ponto de quase chegarmos a flutuar. Esta forma de conhecimento nos altera por completo, sim, pois tem que ter consciência plena de suas atividades mediúnicas. Eu sou consciente e não inconsciente, por isso o dever de levar a sério nossa missão. Eu não brinco no sacerdócio, eu sorrio, mas não brinco. Sei da grande verdade que se esconde sob o manto da prudência. Quando um jaguar está desequilibrado ele não tem noção do que está acontecendo ao seu redor. Ele busca desarmonizar o circulo e aí chega à dor para lhe refrescar a sua memória. Depois chora as suas lágrimas tentando remediar seu coração. Porque não pensou nas consequências desastrosas antes de dar o primeiro impulso.

 

Nós temos um fator biológico que é como um acumulador de forças disparando flashes de energia. Elas são como pequenas descargas elétricas que sobem do plexo para a cabeça, para o cérebro. Elas induzem o equilíbrio ou desequilíbrio da pessoa. Se elas forem controladas pelo sistema pulmonar, respiração e expiração, a oxigenação torna a descarga negativa em positiva, aliviando o padrão mental. Se esta descarga não sofrer esta transmutação ela se torna negativa e dali para frente o portador desta força se descontrola e todos que estão ao seu redor entram no mesmo caminho. O perigo da explosão do plexo desequilibrado pode resultar na esquizofrenia. Quando se chega neste estágio não tem retorno mais.

 

Um viajante só saberá que chegou ao seu destino pelo dono da morada. Se ele for e ninguém o ver é como se nada estivesse acontecendo.

 

Boa jornada a todos! Não forcem suas mentes, sejam tranquilos e acreditem em vocês mesmos.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

16.07.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta