LANÇAS

Salve Deus!

 

Estamos recolhendo nossas lanças.

 

A vida segue rumos cada dia mais diferente dentro desta composição que nos remete ao passado. Tão logo se queime esta faixa karmica obsessora que vivemos, nós seremos então remetidos a uma nova filosofia de vida, a do amor incondicional.

 

Cheguei ao campo dos mártires que ficou marcado em nossas decisões e lá vi que muitos estavam recolhendo as suas lanças que ficaram impregnadas naquele mundo. A doutrina do amanhecer nos convida a viver este ciclo para se chegar ao novo, ao quinto ciclo do homem livre das amarras da terra. Para isso nossos rituais nos elevam na condição de sacerdotes do terceiro milênio.

 

Ao chegar neste lado da vida passada eu fiquei observando o trabalho de resgate que os missionários tinham pela frente. Cada qual seguia seu destino ao ciclo que ficou travado em seu consciente espiritual, não físico, mas onde tudo é registrado pela individualidade. Lá, neste campo, as lanças estavam derrotadas e atiradas ao lamaçal vermelho, lembranças perdidas em sua história.

 

Muitas eram vitoriosas pelas conquistas, um preço maior pela derrota dos inimigos. Outras eram dos derrotados que perderam suas batalhas, pois também seriam vitoriosos se não houvesse os mais fortes. Fracos ou fortes, uma questão de princípios, pois pensamos ser fortes e quando abatemos ou somos abatidos tudo muda no panorama espiritual.

 

Os sacerdotes de sua ideologia karmica. Aqui na terra conquistamos as nossas lanças pela verdade da personalidade. Através dos ensinamentos, através da história vivida, através da necessidade de cura. Estas lanças nos remetem ao infinito mundo das nossas responsabilidades. Fizemos o bem ou o mal, então receberemos ou pagaremos na mesma moeda. Quem fez o bem está dentro da ordem direta e quem fez o mal ainda está caminhando para resgatar estes elos. Tudo seria imaginação, mas a verdade que chega nos trabalhos nos mostra o resumo da nossa capacidade de compreensão.

 

Somente o missionário pode entender o que significa esta transformação da água para o vinho e para que este vinho não se transforme em vinagre é preciso dedicação e muito amor pela sua necessidade de completar seu estágio. Completar a jornada espiritualmente sem que a terra sofra as descargas da nossa incapacidade de alimentar os três reinos.

 

Eram muitas lanças espalhadas. Os missionários podiam somente recuperar a sua lança, a de outros não tinha como pegar, elas eram muito pesadas. Tentei pegar uma lança que estava sob meus pés e eu não consegui nem movê-la do chão. A energia estava tão impregnada nela, pareciam toneladas de peso em cima. Ao tocar nela minha mente disparou um sinal de alerta e o quadro se abriu mostrando a ligação com o responsável por ela. Mesmo ele não tendo noção e nem estando nesta linha mística, ele está na terra sob os efeitos de sua dor, de sua jornada cega.

 

Com a força da nova onda evolutiva, a era tecnológica, teremos então o eldorado mundo provando que existe o outro lado da vida. Será uma questão de tempo para o cientista criar um portal inter dimensional, e assim dar noticias do mundo de lá para cá e vice versa.

 

A existência de um sistema agregado a nova era lançará os estímulos vibracionais formando telas em nossas frentes, como os videntes veem, não dispersando e nem despedaçando os corações em desarmonia. Ver o outro lado é muito simples, basta abrir sua mente espiritual. No começo existe uma variação que atinge o centro coronário trazendo um distúrbio mental chegando a enlouquecer quem chega perto desta porta. Somente com os desdobramentos do espírito é que isso equilibra e vai fomentando novas decisões. É preferível ser um simples missionário e ter certeza de estar com seus pés no chão a que não ter certeza de quem é mais.

 

É muito complicado entender os sinais da verdade. Aqui na terra pensamos estar certos, mas olhando pela vidência nada daquilo é real. Os encarnados são variações dentro de uma composição atômica. Os espíritos se escondem dentro de seu casulo e ditam ordens como se fossem a verdade suprema, mas não fazem nada do que falam. O falso profeta desta nova era. Falar ou querer ensinar sem demonstrar a sua obra o torna um arrogante espírito sem tratamento.

 

A doutrina está transformando vidas e alimentando a curiosidade espiritual lembrando que todos nós viemos do espiritual e nos tornamos carne. Quando voltarmos para lá veremos a grande transformação do nosso sol interior ou seremos remetidos aos planos mais inferiores como prova de nossa incapacidade de amar, de ter entendido a sublime mensagem de Seta Branca.

 

Quem é quem sem tirar a viseira karmica de seus olhos. Todos estão no mesmo barco, na mesma sintonia, na mesma jornada exemplificando as ordens do astral superior. Seta Branca tem descido pra terra quase constantemente preparando estes espíritos para suas obras de caridade sem ver e sem julgar. O julgamento é uma obra dos pagãos, espíritos cegos, surdos e incompreendidos. A eles somente a dor reverterá seus estados de dormência. Quando acordarem será tarde demais.

 

Com o recolhimento das lanças e os rituais dentro desta magia estamos nos iluminando. Estamos saindo do ciclo da cobrança e entrando no ciclo do perdão. Somente o amor dentro da razão poderá estabelecer um novo caminho, uma nova direção.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

04.07.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta