DOM OU MISSÃO

Salve Deus!

 

Vamos entrar neste complicado sistema evolutivo.

 

Muitos espíritos vêm para a terra com um dom especial e outros vêm com missão. O dom é trazido pelo espírito e a missão se desenvolve. O dom é algo especial que o espírito portador deste fenômeno trás para formar algo diretamente ligado aos planos espirituais. No caso a clarividente. A missão é desenvolvida pelos seguidores que aceitam transformar seus destinos.

 

Quando um espírito reencarna e vem com um dom, ele sofre a necessidade de ampliar seu universo, seu horizonte, e nesta oportunidade com ajuda do mundo invisível que vai abrindo as fronteiras interligadas pela sua consciência ampliada. Quando é por missão, aqui na terra ele vai buscar este caminho para formar seu aleda e dar prosseguimento ao conhecimento.

 

No dom já vem tudo formado, milênios de preparação até que resulte no apêndice considerável de um mundo em desenvolvimento.

 

Eu estava aqui parado, encostado no pé direito de minha casa, na área externa, que dá acesso ao templo. Os espíritos desciam esta rua indo procurar a luz que irradia de dentro para fora. Vejam que o templo mesmo não havendo trabalhos abertos e fora do horário de atendimento irradia sua luz. É uma luz suave e bem delicada, uma mistura diferente, muito bonita de se ver. Esta luz se forma no contraste da névoa noturna com a claridade abstrata. Não sei decifrar o tom de mistério, algo sobrenatural. Mas digo que é muito lindo.

 

Então os espíritos ao descerem pela rua do vale buscam querer conhecer esta luz tênue pelos efeitos aplicados do céu para a terra. Eu diria que é como um canal de interligação e não fica somente nos dias de trabalho, pois a ligação se faz 24 horas.

 

Indaguei ao espírito de um homem desconhecido o que ele desejava e ele me perguntou.

_ Que luz é esta? Nunca tinha visto esta luz aqui!

_ Salve Deus! Esta é a luz divina, um foco do céu para a terra!

_ Eu estava ali parado observando esta coroa que formou neste barracão! O que tem ali dentro!

_ Ali meu irmão é a casa de Deus, de Jesus, de Seta Branca!

_ Hummmm! O que vocês fazem ali, culto, pregação, missa!

_ Não! Ali nós preparamos a humanidade para receber o testemunho da verdade!

_ Como assim testemunho da verdade!

_ Jesus nos disse que somente a verdade nos libertará! Então esta casa prega somente a verdade e não pode enganar ninguém! Aqui existem luzes curadoras do mundo físico e do mundo espiritual!

_ Hummmm! Realmente muito diferente do que eu já vi! Posso entrar pra conhecer!

_ Neste momento os cavaleiros de Oxossi estão de honra e guarda e eles não permitem o acesso ao interior do templo! Tem horário para abrir e os convidados chegarem!

_ Mas que horário é este!

_ Horário da terra, 15 horas em diante! Sei que de onde vem não tem horário que possa ter comparação! Digamos que seja o horário de sol, onde na terra é dia!

_ Neste horário eu não consigo vir! Arde e queima!

_ Mas aqui dentro do templo neste horário o mundo espiritual protege os espíritos de serem prejudicados! Eles criam uma redoma de energia protetora que ameniza o íon solar e assim todos podem chegar sem problemas!

_ Mas com eu faço para vir neste horário!

_ Pense em Deus, em Jesus e em Pai Seta Branca! Eles vão ouvir seu clamor e sem menos esperar estará aqui para conhecer!

_ Hummmm! Vou fazer isso então!

_ Somente quando houver atendimento nos dias especificados! A luz vai brilhar mais forte ainda! A corrente de ligação com o céu vai ficar ainda mais clara! É neste momento que poderá chegar!

_ Vou ficar ali esperando! To indo embora já!

_ Vai com Deus!

 

Assim ele deu meia-volta e subiu a rua. Eu fiquei olhando para o templo sendo irradiado por aquela luz tão delicada, algo muito diferente, ela tinha formato de um duto que vinha de cima para baixo. Parecia que tinha um buraco no céu e a luz vazava de lá.

 

O dom que eu digo é isso. É poder com certeza estar ali para desfrutar dos fenômenos surreais que se aplicam entre dois mundos diferentes. A missão pode desenvolver este dom, mas seria um dom adquirido e não originalmente trazido.

 

O dom individual geralmente é colocado a prova dos dez. As pessoas na terra sempre vão querer tapar este conhecimento com rudez, pois não se aplica o verbo diretamente na missão, e sim, na preparação do eu interior em sua missão. O dom é como um espinho que fere seu compromisso como forma de preparação para o sustento da evolução. A missão é mais suave e mais aberta, pois se desenvolve buscando o equilíbrio psico mental. Quem tem dom vive sendo criticado, vive sendo caluniado, chamado de doido e isso acaba interferindo no seu sistema mediúnico. Veja a clarividente o quanto ela sofreu em vida, quantos a chamaram de doida, mas ela não desistiu e formou sua obra. Isso é um Dom de Deus.

 

Todos que vieram após ela e na sua linha mística são missionários. Ninguém na terra pode simplesmente julgar fulano ou beltrano por ele ser diferente. Dentro desta linha doutrinária temos as leis de Seta Branca que pede para que não a mudem, para que não burlem os códigos de ligação. Para isso existe a hierarquia que veio para cumprir este mandamento, mas se não tiver amor, também fica a vagar e divagar nos seus pensamentos.

 

Quanto preparo para a verdade. Quando eu me ligo ao reino central formo o meu aleda. Eu busco estas forças diretamente no meu sacerdócio. É diferente, pois o portal abre sua imensidão e deixa o canal livre para ir e vir.

A luz é como desta foto!

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

03.07.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta