ONDAS GRAVITACIONAIS

Salve Deus!

 

Vamos entrar um pouco na ciência espiritual. Falamos muito em dois planos, ou em vários planos, mas não se sabe como e porque eles se separam um do outro.

 

Eu estava ainda preso ao físico e olhando para o céu bati com minha mão em uma coisa que parecia sólida aos olhos do espírito. Era diferente, era invisível, mas tinha algo que repelia minha mão física sendo movida pelo eu interior. Ao bater nesta onda e criaram-se marolas, tipo um espelho de água quando sofre uma alteração de movimento. Fiquei olhando e quanto mais em mexia mais aquilo se desprendia em eternos movimentos. Mas não era somente o movimento, havia repulsão que não me deixava fisicamente ultrapassar. Um campo magnético invisível e somente o espírito pode chegar do outro lado.

 

Em dois planos simultaneamente onde a ligação da matéria com o espírito cria alternativa pela variação das ondas magnéticas vamos nos aprofundando na visualização do etéreo com a terra. Na terra nos apresentamos pela singularidade do encarnado e no céu pelo desencarnado.

 

Fiquei surpreso com esta apresentação. Eu bati várias vezes neste espelho magnético para tentar chegar do outro lado pelo físico e nada. Quando meu espírito ia, ele ultrapassava esta onda e de lá ele sentia os mesmos efeitos quando queria chegar ao físico. Então a conclusão que a matéria não chegará ao invisível e nem o invisível a terra.

 

Eu olhava para tudo aquilo com curiosidade, sempre olhando de baixo pra cima e de cima para baixo. Não havia como quebrar esta barreira a não ser quando realmente ela for dissipada e tornando os dois planos simétricos, interligados.

 

Esta divisão que foi criada por Jesus, *neutrôm, colocou ordem na vida material e espiritual. Os caminhos então se dividiram e cada qual ficou em sua dimensão sempre mantendo saudades de alguma coisa, de algum lugar, uma emoção contida pelos laços de sua vida diferenciada. Os físicos sentem saudades e muitas vezes não sabem de onde vem esta energia que se propaga pela dimensão etérica. Espiritualmente, após o desprendimento do espírito, esta saudade se torna tranquilidade, fazendo com que se reencontrem os velhos contemporâneos de outrora.

 

Geralmente as famílias espirituais se visitam e deixam resquícios de uma energia bacana. Claro que todos dentro de um campo vibracional, se respeitam, se amam e se esclarecem. Depois novamente a janela temporal se fecha e cada qual segue seu destino.

 

Ao sair desta dimensão pesada pela força gravitacional da terra, os espíritos flutuam sem peso algum. Seria uma liberdade assistida ainda, pois não desencarnou, e isso lhe dá a suavidade da sua paz. Ele vai, recebe e volta. Tudo dependendo de quem ele é, se for nativo não vai muito longe, fica ali perto do corpo físico, se for iniciático pode chegar ao mundo em suas dimensões. Quando o plexo recebe a centelha cósmica pela sua iniciação, ele recebe a força cristica, que lhe permite fazer uma obra diferenciada dos demais encarnados. Por isso a iniciação é especial, fazendo de nós instrumentos da transformação planetária.

 

Ser iniciado é receber o cálice da vida eterna. Onde o juramento sagrado é revivido pela força de um grande iniciado, Mestre Jesus. Todos ingerem esta sabedoria e se tornam verdadeiros cientistas dentro de sua era. O cruzamento das espadas reflete os portais de sua caminhada. Quando elas são abertas você segue com sua condição mediúnica para sua missão. Mas elas, espadas, só abrem para o iniciado, pois seu plexo recebeu esta força e ela não se mistifica.

 

Queria que todos meus irmãos se afinassem com suas evoluções karmicas e sentissem no coração a sua razão. Para sentir esta força magnética realize movimentos com suas mãos suavemente circulando o espaço a sua frente. Aos poucos, em sintonia, irão sentir alguma coisa que suas mãos encostam ou tocam. Mesmo não tendo nada concreto e visível sentirão esta onda magnética passar por seus dedos. É algo diferente, pois nós somos revestidos pelo neutrôm.

 

Busque o seu conhecimento e se torne especial para você mesmo.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

14.06.2017

 

* O neutrôm, na Doutrina do Amanhecer, não se refere ao homônimo da Física – que designa as partículas atômicas sem carga elétrica, que envolvem o núcleo central do átomo -, mas sim a uma forma de energia nebulosa, uma nuvem com limites, controlada pela força da gravidade que a pressiona em toda sua periferia, e que faz a divisão dos diversos planos, um turbilhão espiralado de partículas em movimentos centrífugos (do centro para a periferia), denominados “Proteção de Deus”, que afastam ou emitem horizontalmente, em progressiva condensação, sob o comando do Eixo Solar de nossa natureza; e centrípetos (da periferia para o centro), reunindo todas as energias e fluídos ectoplasmáticos no Centro Coronário. O neutrôm pulsa, contraindo-se e se descontraindo, como se fosse um coração esferoidal. O neutrôm se altera conforme seja dia ou seja noite, porque os raios solares dilatam suas moléculas e dificultam a penetração, motivo pelo qual os trabalhos espirituais realizados à noite são mais fáceis. Embora o neutrôm não se impregne pela energia, é energizado pelo nosso plexo físico e gira em torno de nós. De acordo com nossa vivência e nossos pensamentos, estabelece um grau de vibraticidade. Quando as pessoas não têm uma doutrina, este grau de vibraticidade é neutro, não tem eficiência, enquanto na pessoa que possui conduta doutrinária seu neutrôm é iluminado pelo EON (*), energia luminosa do Sistema Crístico. Com essa forma de espiral, formamos sintonia com os planos de nossa individualidade: é o mergulho na individualidade. Quando emitimos, falamos de coisas que estão dentro de nós e coisas que estão fora de nós. É o contato com o Universo, nossa integração universal pelo mergulho em nossa individualidade. Nosso plano físico, na Terra, é limitado pela força do neutrôm, dando ao Homem uma visão limitada do Universo em que está contido, deixando apenas, pela força da percepção, que penetre em outros planos. A pouquíssimos é dado o privilégio de poder ver outros planos. O Homem não teria como manter seu equilíbrio mental sem as limitações do neutrôm. Para ter perfeita percepção de seu mundo, o Homem deve ter limitações como o tempo e o espaço, noções de como se submeter às leis físicas da gravidade e dos movimentos, das leis que regem o funcionamento de seu corpo e de sua mente, aprender a lidar com as emanações dos seres animados e inanimados que compõem o seu ambiente. Separando o mundo físico e sensorial dos planos espirituais, o neutrôm, quando é rompido, provoca uma explosão, estado de relativa anormalidade, que aprendemos a manipular por nossa Iniciação e consequentes Consagrações na Doutrina do Amanhecer. Segundo Humahã, o neutrôm – ou turbilhão neutrônico – que constitui o nosso micro plexo, nossa alma, produz e permite a existência de certa quantidade de luz, luz esta que clareia, ilumina o caminho para nossa mente, permitindo que tomemos nossas decisões de acordo com nossa posição em nossa trajetória nesta encarnação, na Terra. Aqui vivemos, rodeados por espíritos desencarnados, formações ectoplasmáticas e um sem número de construções energéticas, mundos invisíveis que existem, se movimentam e atuam de acordo com suas leis próprias, separados de nossa percepção pela barreira do neutrôm. Quando fazemos a preparação para nosso trabalho, buscamos, na vertical, todo o acervo que possuímos no Universo, através do neutrôm, para que possamos, com nossa mediunidade, distribuí-lo horizontalmente, na medida da necessidade do trabalho que realizarmos, desde o mais simples ao mais complexo. Pela ação dos raios do Sol, o neutrôm se torna mais denso pela dilatação de suas moléculas, dificultando sua penetração. Por isso devemos realizar os trabalhos espirituais preferencialmente à noite ou na penumbra, por ser mais fácil a comunicação. Segundo Tia Neiva, entre as grandezas do neutrôm existe uma grande especialidade: a Magia Neutra ou Nativa. Se não fosse o neutrôm, viveríamos sobressaltados com as explosões dos átomos e flutuaríamos como pequenos balões. O neutrôm protege o Homem na sua inconsciência, controlando seus princípios magnéticos, porém sem os termos de lei que possam burilar sua alma ou sua consciência. Com a implantação dos Sandays (*), trazidos pela projeção das 21 Estrelas (*), deu-se início à alteração da composição vibracional do neutrôm, começando a modificação que determinará a conjunção dos dois planos, quando poderemos ver espíritos, com todas as suas características de habitantes dos mundos invisíveis, aparecerem no nosso mundo. Não serão materializações, mas, sim, simples passagem de um plano invisível para o visível.

 

  • “O macrocósmico – ou neutrôm – neutraliza o físico do etérico, formando esta grande barreira intransponível da luz solar ao etérico, dividindo o segundo plano do primeiro, onde atinge formas diversas, inclusive fora do Sistema Crístico.” (Tia Neiva, 28.6.77)
  • “A matéria não organiza – é organizada. Sua função representa senão uma modalidade de energia esparsa. Nossos elementos, nos planos físicos, chegam a ultrapassar as barreiras do neutrôm na formação do nosso sistema planetário. As junções ou injunções concentradas de energia do plexo físico em fusão é que resulta no neutrôm, uma nebulosa que, pela força da gravidade pressionando de toda a periferia para o centro, provocou o movimento circular que, paulatinamente, modificou sua forma, tendo um sentido mais ou menos espiral, acompanhando o movimento circular giratório, que é denominado “Proteção de Deus”, com forças denominadas centrípeta e centrífuga. A centrípeta tem por função reunir todas as energias ou fluidos ectoplasmáticos no Centro Coronário. A centrífuga afasta ou emite na horizontal, na progressiva condensação, sob o governo do eixo solar de nossa natureza. Fazendo esta explicação, um mestre, um filho, fez a seguinte pergunta: “Por que o neutrôm? Então ele não nos atrasa, nos escondendo os mundos espirituais?” (pergunta inteligente, achei). Não, não haveria sentido o corpo físico se houvesse uma só visão. Não haveria, também, necessidade do Sol, que ajuda esta condensação material. Como seria a vida solar, com tantas imagens, com tantas visões deformadas dos espíritos em cobrança? Bem coordenada é nossa explicação sobre o neutrôm e todos estes aspectos da Doutrina, em suma, o preceito fundamental de Jesus Cristo, que são as leis eternas de Deus Pai. (…) O neutrôm não se impregna pela energia, porém sofre alteração entre o dia e a noite. Em todas as suas grandezas, há mais uma grande especialidade: a Magia Neutra ou Nativa. Graças ao neutrôm é que chegamos até aqui. Se não fosse o neutrôm, viveríamos sobressaltados pelas constantes explosões dos átomos e, também, flutuando como pequenos balões.” (Tia Neiva, 4.10.77)
  • “Não é possível atravessar o neutrôm sem que haja o perigo de explosão. Aos poucos, tudo se cumpre como Deus quer!” (Tia Neiva, 21.11.81)

 

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta