ANFITRIÃO

Salve Deus!

 

Os espíritos estão me procurando para ajudá-los em suas mudanças para esta cidade e esta noite eu recebi aqui um homem, um irmão, que quer vir morar aqui em Campo Largo, Paraná.

 

Ao ele chegar pediu informações de tudo:

_ Mestre! Como é Campo Largo?

_ Salve Deus! Aqui é uma cidade pacata! Uma cidade onde temos boas pessoas morando e são felizes! Não há tanto deslizes socialmente dizendo, onde espíritos tomam dos outros, o que não lhes pertence!

_ Eu quero trazer minha família, minha esposa e meus filhos! Eles vão ter oportunidade de estudar, de trabalhar?

_ Campo Largo tem indústrias, tem comércio, tem forte ligação com Curitiba que fica pertinho, ligada via transporte de carro ou com ônibus interligados a capital!

 

Assim fui respondendo as suas indagações. Mas a principio visitamos os lugares que ele precisava conhecer, dando a ele uma exata dimensão de nossa presença física nesta sociedade.

 

O conhecimento de tudo nos trás perspectivas da abertura das dimensões que são qualificadas pela nossa atuação, nossa participação. Nestes eventos nem sempre acontece o que queremos, o que precisamos, porque tudo está interligado ao nosso comportamento. A missão do templo nesta cidade é esclarecer os cidadãos de suas responsabilidades com suas evoluções. São espíritos que se perderam pela falta de fé, de amor e de organização. Um povo que veio de uma lamuria difícil onde o castigo se fazia em praça publica, em sessões plenárias, senadores davam a palavra final. A era cristã que começava ali foi intensamente sufocada pelos não seguidores, pois tinham medo de perder seus dotes, seus poderes. Todos Vieram nascer aqui e ainda mantém o sangue de Cristo como troféu.

 

O Evangelho não atende aos objetivos da maioria dos encarnados, pois Jesus fora pregado em sua cruz por sua fraqueza, não dando respostas na hora certa pelos métodos do poder a ele entregue. Quando viram que Jesus, o curador, o milagroso, não se entregou aos caprichos da violência eles deixaram de acreditar. Eles Deixaram de querer segui-lo. Uma dor pregada pela eternidade.

 

O mundo espiritual tem feito muitas investidas pelo lado invisível desta natureza rude. Muitos foram escolhidos pela sua compreensão, mas muitos ainda se mantém recolhidos pela sua desobediência. Eu vivo a minha missão ensinando aqui na terra e nos círculos espirituais pela ordem dos grandes iniciados, esperando a hora do desabrochar incondicional. Pode ser que perdure um ciclo, mas Pai Seta Branca sabe como conduzir este povo.

 

Quando ele desce para a terra estes espíritos tem tanta curiosidade que chegam formar filas em frente ao templo, só para vê-lo. A luz irradia e as noites escuras ficam dia. Este clarão universal, um sol simétrico amarelo ouro, faz seu oráculo crescer nesta dimensão despertando em cada coração um crescente interesse pelo espiritual. Mas em terra, karmica, vai ser preciso muito trabalho e muita dedicação, porque são todos bloqueados, sem merecimento de ter o céu. Por isso esta cidade ainda está atrasada no circulo esotérico, pois são espíritos oriundos da crucificação de Jesus.

 

Muitos já estão compreendendo suas missões, Graças a Deus, pois receberam a dádiva em seu sol interior, mostrando realmente as suas juras transcendentais. É tudo maravilhoso quando um espírito encontra seu destino, sua missão e abre seu coração para Deus. Como o desenvolvimento do sol interior a força aumenta principalmente no espírito que passa a se cuidar mais em sua caminhada. Ele passa a compreender tudo que está ao seu redor. O trabalho constante alimenta seu coração de energias positivas, de outras fontes de sabedoria. Aqui o homem se equilibra e reequilibra a sua fé.

 

Assim foi esta visita. Assim foi a minha receptividade, pois tendo maior tempo de missão eu recebo os meus irmãos que precisam tomar suas decisões em respeito as suas necessidades.

 

A luta é grande quando batemos de frente com a incompreensão. Mas já está dando mostra de abertura, o céu está atuando e reparando um sistema perdido. Muitos casos já foram evitados e muitos não puderam pela falta de amor e respeito. Não atire pedra na cruz, pois pode ser a sua cruz a qual você está se desfazendo.

 

Uma passagem: Tinha um rapaz que era evangélico e sempre quando passava perto do templo atirava pedras quebrando telhas. Um dia ao chegar aqui no templo eu o vi sentado encostado na cruz da entrada. Ao ele me ver saiu correndo e eu fui atrás, pois queria saber onde morava. Cheguei na sua casa e fui recebido pela sua irmã e ela me contou que ele ficara doido, estava em tratamento psiquiátrico. Mesmo ela não me conhecendo falou. _ Ele sempre passava num tal vale do amanhecer atirava pedras e agora ficou deste jeito. Eu olhei e disse que havia ficado preocupado, porque ele estava sentado encostado na cruz de Jesus do Vale do Amanhecer. Assustada ela se despediu e entrou, e eu fui embora.

 

É muito sério. Nunca atire na cruz dos outros pensando que estas pedras não voltam. Vamos cuidar da nossa cruz que já é pesada e requer muita paciência e sabedoria para saber conduzi-la.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

25.05.2017

Fonte de dados de Campo Largo:

http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=410420

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta