CASA DE SETA BRANCA

Salve Deus!

Esta noite foi difícil. Como foi difícil mostrar uma luz para os cegos que não querem enxergar.

 

Eu tive uma visita. Eram homens de capas pretas que vieram testar a minha tolerância, a minha humildade e simplicidade. Não falo em amor ainda, porque existem coisas que são desconhecidas por todos, que é uma linha entre a consciência física e a espiritual. Os espíritos são conhecedores da magia, só que não é a nossa magia branca, pura. Aos eles chegarem aqui no meu mundo espiritual eu os recebi muito bem, recebi dando respeito, porque nós somos respeitadores do próximo.

Eles olhavam com ar de superioridade, com ar de escravidão, pois em suas idolatrias eles convocam o lado negro de suas conjurações fazendo ritos em favor de suas materialidades. Tinha um mais alterado que falava de seus feitos e ele induzia aos demais a sua opinião. Com sinais ele orquestrava o seu espaço e sem que outros notassem a sua esperteza, somente os que estavam com ele entendiam a linguagem dos sinais.

Eu estava sozinho nesta hora. Eu estava dando respostas a este encontro e não me valia das forças do continente para estar demonstrando poder. Eu sabia que os mentores estavam próximos, mas sem alardear, pois a surpresa seria maior. Foi então que conversando com estes espíritos eles foram recebendo os esclarecimentos da nossa verdade. Era o que eles queriam ouvir, não sei, mas provavelmente vieram escutar o meu coração.

A terra tem dono e eles vivem aqui milhares de anos passados. Nós também nos sentimos donos da terra, pois de encarnação em encarnação também vivemos aqui. Só que no sistema reencarnatório e não presos ao mundo da escuridão. Muitos ainda se sentem donos de tudo e vão desalinhando seus contratos com Deus. Um dia terão que voltar para esclarecer os seus caminhos e ali o testemunho vivo e resplandecente será tomado pelo registro de suas atividades.

 

Foi então que recebendo este povo eles queriam novamente tomar o que não lhes pertence. A luta entre a luz e as trevas é formada pela necessidade de ter e não pela força de um comando esclarecedor. Existem variáveis entre os seres que habitam esta faixa perturbadora, sim, pois estão sendo direcionados pela força de um pensamento.

Os espíritos vieram e veio também um dos lideres desta presença. Todos o rodeavam e ele impunha sua lei. Ele era o mais graduado em sua linha e eu fiquei na minha insignificância. Muitas palavras, muitas perguntas, muitas prerrogativas. Eu só firmei meu pensamento em Seta Branca para que eles não atingissem ninguém que desconhece a lei do amor. Foi então que gradativamente eles foram sendo impregnados pela energia luminosa. O silencio abriu uma fenda e aos poucos este mundo foi clareando sem eles notarem. Quando eles viram já estava lusco fosco, uma faixa entre o dia e a noite.

Era hora deles se retirarem. Mas o cerco foi formado e só seria quebrado com a abertura do portal. Eles vendo que não conseguiam sair da rede sem minha autorização, de Obatalá, ficaram desesperados. Eles se entreolhavam com sinais dizendo mais ou menos assim: E agora o que vamos fazer.

O líder deles olhou para cima e com um sinal com seus olhos afirmou a chegada de uma nave. A amacê vinha circulando uma grande montanha e logo estaria aqui pra cumprir sua missão. Eles ficaram assustados, mas não arredaram seus pés, estavam todos magnetizados pela força. Quando a grande amacê chegou ela abriu um facho de luz bem ali em cima de todos nós e eles foram sendo elevados. Eu não fui com ela, pois a minha missão é formar o canto do jaguar nestes mundos perdidos pela falta de luz.

Os espíritos subiram e a nave foi embora como se fosse um relâmpago, um clarão, num estalo um estrondo como trovão. Fiquei ainda ali olhando em volta para ver se tudo estava certinho. Pronto, não havia mais nada a fazer neste lado. Voltei para casa. Estava friozinho e eu estava sem cobertas e isso me trouxe uma pequena dor de cabeça. Quando nos transportamos nós temos várias situações que nos esclarecem o físico. Muitas vezes estamos desdobrados do físico e isso mantém em vigília o estado emocional. Quando saímos realmente do físico nós o largamos no seu leito de adormecer e vamos desnudos da nossa couraça. Vamos na roupagem da nossa consciência dinâmica. Alguns pensam no uniforme de jaguar e logo estão dentro dele. Outros sem ter uma noção real de sua condição se revestem de outras identidades.

Somos como uma fumacinha soprada pelo vento. Percebam que o espírito é invisível aos olhos físicos porque, como disse nossa Mãe, ele não tem charme. Se não tem charme então ele não existe no plano físico. Alguns espíritos conhecedores da magia induzem as pessoas a formar um espectro alucinante com a emissão do ectoplasma humano. As aparições são por alguns segundos que assustam as pessoas. Mas tudo porque existe uma energia pesada sendo manipulada. A gente vê esta movimentação quando está no espiritual, vê quem está moldando a energia, vê onde ela está acrisolada.

 

Temos que seguir a orientação de Seta Branca. Temos que ser honestos com a gente mesmo. Tudo nesta vida tem um porque e um senão. Eu posso manipular uma força desde que saiba a sua procedência. Eu posso fazer tudo que desejo, mas se não respeitar os elos que se formam no conjunto karmico eu seria um menos esclarecido. Entenderam o real significado do conhecimento científico espiritual.

“A terra passará, mas não as minhas palavras”. Disse Jesus.

 

Os mesmos que sacrificaram a luz estão querendo escurecer novamente o céu.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

19.05.2017

Deixe uma resposta