CARIDADE NÃO TEM NOME

Salve Deus!

 

Voltando as velhas estradas para buscar o que deixamos para trás. Nossos charmes, nossas heranças e juramentos que se acumulam tornando nosso futuro obscuro e cheio de imagens camufladas pelo medo, pela escassez de conhecimento.

 

Eu cheguei do templo todo quebrado, pois estou dando tudo da força física para deixar a casa de Seta Branca bonita aos olhos humanos. E ao deitar-me fui longe, fui buscar as minhas remotas origens dentro do contexto da minha história. Vejam bem, não é a terra que irá vos julgar no final de sua jornada, mas sim o céu que aguarda incansavelmente o seu retorno.

 

Cheguei à Itália. Um local distante do pensamento físico, mas tão próximo da nossa realidade espiritual. Vesúvio das mil e umas noites. Olhando para aquele quadro dantesco de maravilha tendo ao seu lado uma cidade que obtinha calor das entranhas através de fendas, ou dutos, que se ligavam a superfície. Eram canais, pequenos orifícios profundos por onde o calor subia aquecendo as moradias. Eu me vi lá nesta passagem, onde minha moldura era esculpida pela lava e adornada pelo ouro. Tudo brilhava pelo reflexo das luzes que queimavam como fogo reluzente.

 

Jovem, muito jovem, mas dentro de uma nítida força que sustentava aos demais com sua garra de comandante. Não havia medo, mas uma luta diária para se manter no poder, pois já naquele tempo imperial havia os tomadores do trono. Digo, os que lutavam para destituir quem estivesse no comando. Quando o vulcão entrou em erupção todos foram extintos pela lava, pela fumaça tóxica, pelas cinzas quentes que eram lançadas. Depois pelo maremoto que os tremores de terra causaram fazendo o mar invadir a cidade. Tudo pelo fogo e pela água, como se referiu Seta Branca em suas cartas.

 

Cuidado, filhos! Não vos precipiteis com os primeiros sinais do Céu, nem com as trevas que surgirão nos horizontes, nem com as águas que subirão ao vosso redor, porque sois filhos do Sol e da Lua e, portanto, nada devereis temer! E, antes que surja outra mensagem, filhos, o mundo já estará vibrando convosco.

 

1979, 1980, 1981, 1982, 1983… 1984 será, então, o começo da grande jornada! Porque, filhos, somente uma melodia será ouvida. Não é justo, filhos queridos do meu coração, que vivais em Deus, trazendo nos pés os menos esclarecidos cujas mentes, pelo desenvolvimento dos planos etéricos, ainda não alcançaram a luz. A Natureza ensina, por indução corpórea, o bem à utilidade comum. Porque, filhos, o fogo sempre vos atinge, movendo-se na atmosfera, tomando uma configuração semelhante à dos corpos. Afirmemos, filhos, a existência de um fogo cheio de imagens e de ecos. Chamemos, filhos, este fogo de luz sub pungente… atmosfera… corcel fulgurante de estrelas, chama do ouro e da prata, meditação prolongada… Será, então, um espetáculo que vossos olhos irão ver: astros que irão brilhar, lâmpadas que irão acender. Porque a Terra não irá tremer para vós outros, porque tudo é ALMA e NATUREZA.

Seta Branca.

 

Por isso que todos vão buscar as suas juras transcendentais. Vão buscar e distribuir novos encantamentos sobre os que ainda ficaram presos em suas janelas temporais. À medida que vamos nos modelando a imagem da perfeita sintonia dentro do quadro evolutivo vamos ganhando nossas recompensas, a nossa liberdade. Jesus então prescreverá nossos restos cármicos.

 

A missão é o nosso sacerdócio. Ninguém da terra pode interpretar uma missão que se firma no esplendor da natureza chegando ao limite das impregnações curadoras. Hoje é muito mais fácil adoecer que se curar. É muito mais interessante matar a fé que se entregar a ela. Tenho um irmão que se preocupa muito comigo, ele se tornou um espinho. Todos que chegam pra falar com ele logo ficam desencantados, pois ouvem de sua boca o que seu coração magoado inventa. Eu o ajudei muito nesta transição e logo veio a punhalada. Não estou criticando, mas mostrando que todos são iguais a uma caixa preta que sustenta as velhas estradas. Então o amanhecer não conseguiu penetrar na sua alma.

 

Ao voltar para as velhas estradas, velhas origens, a minha intenção é esclarecer estes espíritos a perdoarem. Mais de dois mil anos se passaram e eles ainda cultivam a ignorância astral em seus corações. Estas viagens têm o intuito de arrastar para a luz os que ainda vivem nas trevas. Eu vou com a clareza do objetivo traçado e eles não conseguem se esclarecer, pois não tem merecimento para trazer na memória astral o significado da palavra perdão.

 

CARIDADE NÃO TEM PREÇO.

 

Caridade é quando deixamos de ser mesquinhos e aceitamos a evolução que pode chegar a qualquer momento vindo de destinos diferentes. Os homens de barro dentro da lata dourada.

 

Hoje é um dia especial, dia dos nossos queridos nagôs de luz e amor, onde a era dos oito marcou a libertação.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

13.05.2017

Deixe uma resposta