MILENAR

Salve Deus!

 

Ontem a noite chegou um espírito milenar.

 

Estávamos, eu e minha ninfa, nos preparando para repousar, após um dia intenso de comemorações pelo dia do doutrinador quando no corredor escuro da casa apareceu um espírito. Ele era mais negro que a noite sem luar. O motivo de ele ter chegado aqui ainda era suspeito, mas dava medo, arrepios e gelava meu corpo.

 

Foi difícil manter a mente em sintonia, pois havia o cansaço físico e o espírito não conseguia se lançar ao espaço espiritual, pelo bloqueio, talvez até como segurança para mim mesmo. Foram horas de um desafio entre preces e manipulação mental. Até que ele se afastou indo para o templo.

 

Horas se passaram e ao conseguir me libertar de mim mesmo fui ao templo espiritual. Neste mundo de Deus existem considerações a serem postas sobre a mesa, porque na vida terrena temos os milenares encarnados e no espiritual eles desencarnados.

 

Chegando lá estava havendo uma reunião e ao receber algumas crianças que vieram ouvir as histórias vi que o espírito estava lá esperando. Só que onde eu estava não sentia mais medo. Era uma mulher, uma viajante do espaço inferior. Quando ela me viu já mudou seu aspecto, ela sentiu a luz no seu espírito. Fomos para um castelo e as crianças vieram também, sentaram-se ao redor e eu chamei esta mulher para vir junto. Ela se sentou a minha esquerda e eu disse para as crianças que ouvissem a história dela.

 

Todas ficaram olhando e esperando para ouvir o desabafo em forma de vida. Neste ínterim a mulher já não estava mais com aquele peso, quando ela começou a falar tudo foi mudando, seu coração foi abrandando e ela sentiu o amor das crianças. Somente de elas estarem ali ouvindo ela contar a sua história mudou o seu destino. Eu convidei minha ninfa para esta libertação. Ao lado de Seta Branca havia um espaço, era uma cabine, um local para receber e libertar os milenares. Pai João estava organizando esta cultura e deixando seus filhos preparados para a nova era. Foi então que nos sentamos e aos poucos fomos manipulando esta energia em beneficio desta mulher, para que ela seguisse seu destino sem causar mais dores para ela mesma.

 

Vejam a diferença. Na terra sentimos medo pela energia oposta. Quando as energias destes espíritos se chocam com a nossa nos causam calafrios, arrepios e sentimentos ruins. Mas quando estamos no mundo espiritual esta energia é equiparada a do nosso espírito. Ela não causa tanto mal como se estivesse na terra. Não há susto e nem medo, mas sim respeito.

 

Sentados na cabine milenar preparamos o ritual para que ela pudesse ser resgatada pela sua origem familiar. Neste comando os mentores abrem as portas dos reinos de Deus fazendo com que estes espíritos possam ver novamente a verdade. Então o portal se abre e se forma uma espécie de corredor e por ele chegam às origens buscando seus amados, ou amadas. As crianças que estavam ali foram seus filhos na terra que a amavam muito e não tendo mais noticias dela perderam seu contato. Ela se endureceu pela perda dos seus amados e somente assim ela pode descansar da sua procura.

 

Ela estava no castelo com seus queridos e nós observando da cabine a sua alegria. De vez em quando ela nos olhava e sorria, estava feliz, estava amando novamente. Ela então se preparou para ir embora e abraçada com eles chegaram em nossa frente. Conversamos muito ainda ali com eles mostrando que a linha que eles deveriam seguir era de Jesus. A partir do aceite não perdemos mais tempo e eles foram revestidos de energia e reconduzidos as suas origens.

 

Pronto. Mais uma libertação sem dor e sem medo. Assim acontece no mundo espiritual, para que todos se compenetrem da verdadeira obra de um Pai chamado Seta Branca.

 

Nunca deixem seus inimigos longe de suas vistas. Os mantenham sempre perto para poderem conhecer a sua história. Longe eles fazem mais estrago pois querendo chamar vossas atenções eles causam o rompimento do equilíbrio e a dor resulta no impacto da vida sobre a morte. Cada inimigo tem a sua história de amor e ódio, e ele só vai se evoluir quando compreender a verdadeira razão de sua presença.

 

Como disse Seta Branca: Amar o Anjo e o Demônio sabendo distinguir as duas forças.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

02.05.2017

Deixe uma resposta