IARA

Salve Deus!

 

Eu nunca vi nossa Mãe Iara tão séria. Deixou por alguns momentos de ser mãe e passou ser Iara na voz da razão.

 

O ritual foi aberto e as energias foram descendo encobrindo nosso vale do amanhecer. Eu entrei na mais perfeita sintonia e abrindo o portal as forças decrescentes chegaram para abrir nosso neutrôm. Pronto, agora o céu estava em terra. Nesta força do comando de Iara os povos celestiais vieram emanar nossa consagração, pois os grandes iniciados agora estavam emitindo na horizontal. Eles vieram na vertical e horizontalizaram as forças em beneficio do povo jaguar.

 

Muitos estão brincando de moda inventando coisas e sacramentando o errado como certo. Não há como errar nesta doutrina, porque tudo que temos veio de Deus e não do homem autoritário e inescrupuloso a ponto de afirmar que tem poder para alterar uma lei.

 

Ao Iara de Assis como Clara de Simiromba, abriu o grande véu mostrando a suprema verdade de nossa missão. Foi estabelecida a ordem direta na integra dos valores primordiais que chegaram na nossa pura concentração, átomo por átomo, eis a vida superando as dores. Neste episódio que vivi com minha ninfa se concretizou a força do homem jaguar, do espírito espartano que viveu sempre longe de sua origem. Temos então uma razão para estarmos neste lado da terra, porque espiritualmente estamos emitindo na elucidação dos segredos da alta magia.

 

Os quadros narrados pela formação do homem luz jaguar Koatay 108, ele não se mantém atento a pureza de sua mente. Mente atrofiada e mal comportada. Mente vazia e sem sintonia. Mente desarticulada pelas promessas vindouras que não se concretizam. Assim o homem desta tribo partiu com sua lança em busca dos infortunados destinos surreais e chegando no limite de sua escalada descerrou sua bandeira rósea, atirou sua lança e de mãos vazias novamente virou um pedinte.

 

Esquece este mesmo homem que pedir muito é endividar-se demais. É não ter certeza de pagar no final deste túnel os seus compromissos. Então Iara chegou com a força da razão e chamando pelos campos das morsas os esquecidos que do além vem a nós. Alertai, alertai! O céu então abriu suas portas e nós reagimos na mesma intensidade. Não leve na brincadeira os sinais do tempo no templo.

 

Ministros, Cavaleiros, Guias missionárias, Princesas, Príncipes, Reis e Rainhas. Os Avatanos suspiraram o desejo de trazer as aspirações do mestrado que tão logo deixaram o comprometimento e passaram a balizar suas vidas pelo vórtice da negatividade. Cabeça baixa, cabeça sofrida e vislumbrando o materialismo. Não vejo mais ninguém com sua mente elevada aos céus. Vejo somente murmúrios e lamentações como correntes presas aos tornozelos.

 

Primeiro de Maio de 2017.

 

Os impasses do mestrado pela busca do melhor caminho. A quem buscar, a quem eleger anfitrião de um conhecimento. O conhecimento só vem se alguém for buscar, é como uma oferenda dentro do aledá, a força se alterna e ela pode oferecer os manjares diferentemente de cada coração. Cada cabeça é uma sentença.

 

Iara das águas, Clara da igrejinha, sabedoria do Cristo em missão. Ouro e prata, luz da escuridão. Os grandes iniciados atenderam ao seu pedido e formou aqui neste solo a base lunar das aspirações do mestrado. Fomos até onde nos foi possível chegar, até onde nossa pobre analogia pode compreender, porque a função do missionário é atender a grande demanda do universo e não pode sofrer as intempéries do seu destino. Não há mais espaço para a dor dos pedidos sem que tenha força para carregá-los.

 

A grande dor da mãe terra karmica que pode ou não sofrer um embate mortal dos seus ocupantes. Se estiver no sistema karmico que a terra irá passar por este reajuste nada irá impedir, mas se não estiver no pergaminho do destino, tudo será amenizado. Como disse Seta Branca, nada acontecerá sem que esteja do devido registro karmico. Nenhum fio de vosso cabelo será tirado.

 

Preocupou-me muito a sua presença e com grande autoridade Iara demonstrou o compromisso que ela veio neste dia. Não brinquem de jaguares, não desonrem o mestrado, não confundam liberdade com libertinagem. Jaguar é o nome que foi dado ao Pai Seta Branca, então, cuidem dele com maestria.

 

Sejam mestres e não marionetes.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

26.04.2017

Deixe uma resposta