BRASIL, A PÁTRIA DO EVANGELHO.

Salve Deus!

 

Lembrem-se, o Brasil é a pátria da paz, do amor e da esperança. Mesmo tendo seus conflitos internos, o povo começa a acordar para a sua força e demonstra o seu principio criador quando coloca Jesus no seu coração.

 

Estivemos, ontem, quarta-feira, em um trabalho magnífico. As legiões se formaram junto ao Cavaleiro Vermelho e quando Mãe Iara chegou para assumir este comando, ela veio para emanar cada coração neste planeta. A força decrescente emitida através do prana iniciático desceu modelando os espíritos sagazes por morte. A guerra em si é um ajuste dentro do confronto mundial onde os lideres serão apresentados na sua essência, uns bons e outros maus, pois só assim o joio será separado. Para o Brasil será uma conquista em sustentar a vida neste planeta.

 

Saímos muito bem dos trabalhos, pois esta renovação transformou nossos plexos, estávamos abastecidos, estávamos completos e emitindo aos nossos irmãos esta energia luminosa. Mãe Iara ao terminar a manipulação junto aos seus filhos no templo, o Cavaleiro Vermelho veio para a contagem. Um poder fenomenal dentro de uma conduta cristica indiscutível que atinge nossos espíritos dentro desta força.

 

Encerramos nossos trabalhos com a energia em suspensão. Ao anoitecer as forças se modificaram, pois a carga planetária dos pensamentos começou a mudar o tom e a sintonia foi ficando diferente. Foi pesando e parecia que seriamos esmagados pela vibração descomunal. Mais uma vez entramos em sintonia para não deixar esta coisa tomar conta de nossos plexos e chakras. A cobrança karmica sobre um mestre encarnado que deixou seu rastro aqui no solo sagrado. Quando alguém pisa na seara ele deixa impregnado seu cheiro, seu rastro, e aí os seus irmãozinhos menos esclarecidos o encontram, e eles não querem saber onde estão ou com quem estão. Eles chegaram e logo vão formando um caminho de dor e sentimentos ruins.

 

Terminamos de manipular meia hora depois, não no templo, mas na área do vale, eliminando o cheiro deixado pelo jaguar. Acalmou um pouco, mas não era suficiente. Ao deitar-me eu não conseguia sair do físico, tudo estava tumultuado, meu sol interior desorganizado. Fechei os olhos e mentalizando meu eu interior eu escutei um estampido. Foi como se houvesse estourado algo nos meus ouvidos. Pronto, senti meu espírito se deslocando e meu físico suavizando. Estava desligado, estava agora em dois planos, consciente da terra e do céu.

 

Foi que fui descobrir o porquê que tudo tinha mudado assim tão drasticamente. Havia dois espíritos que vieram no encalço deste jaguar. Um era o mandante e o outro o executor. Eles eram diferentes, eram brancos e parecia ter um casaco de pele, tipo de urso. Eram altos e muito fortes. Eu fiquei olhando para estes dois que não se incomodaram comigo, pois o objetivo deles era outro. Percebi que neste mundo espiritual tem uma falange de executores espirituais. Eles se organizaram para poder receber pelos seus trabalhos de desencarnar algum mortal. Foi assim que estava acontecendo ao este mestre ser jurado de morte. O espírito executor o estava perseguindo para que ele pagasse uma divida, uma eterna divida que foi esquecida. Tudo a pedido do outro que o estava acompanhando. Eu só estava de longe acompanhando a movimentação. Chegou em certo ponto que eles conseguiram entrar no campo espiritual de sua vitima e quando eles estavam quase inoculando um liquido em seu pescoço, algo que eu desconhecia, eu dei um grito de alerta. Foi algo inevitável, já que é um filho de Seta Branca. Eles levaram um susto e o mestre se virou dando tempo de se esquivar. O espírito do jaguar saiu correndo e eles sumiram.

 

Este mestre é o mesmo que contei em outra história qual eu fui visitá-lo em sua choupana, encontrando restos de uma vela em sacrifico de sua alma. Muita coisa ainda falta para se desligar de sua promessa, pois a doutrina do amanhecer é o evangelho de Jesus.

 

Eu fui descobrir o porquê desta falange de executores espirituais. Eles são jagunços que matavam pelo pagamento. Eles são espíritos que tinham este compromisso na terra de matar e ao desencarnarem continuaram praticando a mesma coisa. Agora se fortaleceram nesta falange e continuam matando a pedido de seus pedintes. Como eles atuam escondidos e ao gritar chamando a atenção, o efeito da morte foi suspenso. Tiveram que fugir, mas deixaram o seu rastro.

 

Prestem bem atenção por onde andam, porque seus rastros ficam impregnados onde pisam.

 

A guerra que se declara será um efeito reparador dos costumes medievais e milenares. A terra poderá sofrer este desafeto para colocar em ordem um novo milênio libertador. A nova era deverá ser livre e liberta. Brasil Excelso, pois aqui a paz será encontrada.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

13.04.2017

Deixe uma resposta