IRMÃOS

Salve Deus!

 

Por que me chamas de meu irmão se em verdade és meu inimigo!

 

Os laços da vida vão se estreitando a ponto da verdade transparecer nos olhos e no coração. Nós, seres humanos hipócritas, tentamos esconder o que realmente somos. Sim, pois é uma falsidade enorme sorrir por fora e por dentro cultuar uma profunda magoa. A estes eu digo, são falsos profetas de uma missão evolutiva.

 

Sabe, o que se passa no mudo espiritual nem sempre eu conto para não criar o sufocamento do espírito, porque todos vivem na demagogia ilustrando seus convívios e desrespeitando Jesus. Evangelizando sem se evangelizar. Não estou revoltado, estou na voz da razão.

 

Pai João, ontem, me trouxe aqui um irmão, um espírito ainda encarnado, mas realmente é um grande inimigo. Não vou falar em nomes, mas vamos ao que realmente interessa. Este espírito chegou com uma empáfia danada, todo poderoso, um rei contido pelo uniforme de jaguar. Veio já de cara me desafiando, me chamando de arrogante e que iria me esperar no templo mãe para um acerto de contas. Esquecendo, ele que, os caminhos de Jesus são de amor, tolerância e humildade.

 

Conversamos muito, mas mudar uma pedra sem que a jogue para outro lado é muito difícil. Pai João de Enoque, sim, um instrumento de libertação, veio trazendo este homem jaguar, porque ele já estava desesperado a ponto de sofrer um desencarne pela tirania e pela energia mental distorcida. Eu fiquei pensando se a doutrina realmente muda os encarnados, ou eles simplesmente se transformam em algo pior. Como disse este espírito, se o dia em que ele desencarnar e não encontrar nada do que prometeram para ele, vai se tornar um poderoso exu, pois conhece a magia.

 

Pai João veio me acalentar, veio me manipular, veio me curar. A energia mental da perseguição é uma arma dos egoístas que só pensam neles. Esta energia é uma força doentia sem precedentes e causa muita dor, muito sofrimento em quem é mentalizado. Agradecemos um ao outro pela presença e ele subiu levando este filho embora.

 

_ Meu filho Salve Deus! Leve água desta casa e coloque num copo a beira de sua cama! Tem que ser hoje!

 

À noite como de costume eu subi. Mas ao passar pelo campo magnético que separa a terra do céu estava havendo um velório. Cheguei perto para ver. Não havia choros, havia somente respeito pelo mortinho. Aquele homem viveu uma vida de enganação, e agora, depois de morto, ninguém o aclama com suas lágrimas. Um mundo negro sem luz, nenhuma vela acesa, somente um vazio.

 

Passei mais rápido para não ser reconhecido, pois estavam bebendo e saboreando o defunto, como se diz no ditado popular. Que os mortos enterrem seus mortos, disse Jesus.

 

Fui conhecer o paradeiro deste homem doutrinador que tanto tem me castigado com suas vibrações. Um homem de idade, um homem que deveria já estar se preparando para sua transição. Não é a graduação que salva, porque esta graduação pode ser a sua condenação. Aquele que conhece não pode errar mais. Mas a doutrina não tem ensinado mais nada a seus praticantes, mesmo as palavras sabias dos pretos velhos estão sendo descriminalizadas. Eu me esforço para enfiar um pouco de esclarecimento em cada coração que me escuta, que me lê. Uma andorinha só não faz verão, ela tenta, mas as redes das intrigas com malhas pequenas não deixam a energia penetrar na alma.

 

O homem está perdendo sua porta de entrada com sua origem. Este mesmo homem que diz Salve Deus, é o mesmo que vibra matando a esperança do próximo. Que Deus é este que se pode achincalhar em seu nome. Este não é o meu Deus. O meu Deus é bondoso, caridoso e honesto. Um Deus que não mata, que não sacrifica, que não esquece. É o Deus simples e hieroglífico que nossa Mãe Clarividente nos falou. Está em todos os lugares, está realmente no coração de todos nós.

 

A quem vamos enganar. Eu fico somente observando os seres humanos em seus caprichos se cutucando, se matando, se amando. São somente cobaias do destino karmico. Assim foi nosso angical, assim foi a minha viagem, assim somos todos nós.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

11.04.2017

Deixe uma resposta