GRANDES INICIADOS

Salve Deus!

 

A organização dos grandes iniciados se forma pela abrangência do mestrado em seu esclarecimento físico espiritual.

 

Eu estava me preparando para formalização da cultura nos planos espirituais. Ao chegar no plano meu espírito despertou para o conhecimento que abrangia a integração de muitas linhas com a linha terrena. É uma forma de conscientizar-se pela força de um poder imensurável que nos integra em verdade ao reencontro das velhas origens com as novas estradas.

 

Ao chegar nesta dimensão e ao abrir meus olhos fui vendo as figuras que compunham aquele quadro narrativo. Tudo foi tomando formas elegantes, pois eram seres superiores em sua conduta. Eram espíritos de outra composição, de outra hierarquia, mas não eram maus, eram curiosos em me ver tão longe de minha morada. Fui recebido por um grande iniciado que tinha em sua palma da mão o grau de iniciação. Era um olho e outras marcas como se fossem feitos com ferro em brasa. Todos se conduziam com suas mãos levantadas mostrando sua espiritualização.

 

Eram fluídicos no meu ponto de vista, como se fossem lençóis brancos transparentes, mas no plano em que estavam eram formas de vida da continuidade de um conhecimento mais superior. O iniciado que veio me receber teve a missão de me levar pelo plano mostrando a realidade que separa a terra do céu. Em todos os sistemas que visitamos havia uma condição avançada de interligação. Eu não estava no canal vermelho, estava em uma preparação muito acima do plano habitual conquistado.

 

Ao ver as reações dos espíritos fluídicos que vinham me conhecer eu fiquei admirado pela conduta exuberante que os mantinham dentro da exaltação, pois em cada mão direita, havia uma forma de contato. Primeiro eu olhava para a mão, depois para o ser. Eram sinais que despertaram em meu eu a qualificação deste mundo. Era tudo diferente, tudo mesmo, havia muita paz, mas isso me incomodava, porque era tudo tão perfeito. Não que isso fosse ruim, mas é que nós estamos acostumados a viver num eterno barulho. A terra em si é um planeta barulhento que invade o universo com suas lamentações.

 

Vocês já ouviram do mundo espiritual como a terra geme, sim, jaguares, a terra modifica seu padrão conforme cada encarnado vibra a sua melodia. Tem som misturado de várias formas de pensamento, pois o pensamento também emite sinais de sua vibração. Quando voltarmos a nos comunicar pela telepatia, aí sim, veremos que o pensamento tem uma forma de som que só é percebido pela variação mental.

 

Imagine todos vocês se comunicando com seus irmãos sem abrir a boca, mas se interligando espiritualmente pela missão do jaguar nesta nova era. Assim é este povo que estava visitando, eles não abriam a boca, eles falavam na mente e no coração. Eu tive um pouco de receio em mudar minha forma de contato, porque estamos acostumados ao som emitido pelas cordas vocais e não pela magnitude do pensamento.

 

Existe uma grande diferença nesta faixa de convívio espiritual que é se tornar um emissário pelo tempo no templo. Eu subi para conhecer, subi esperando mais esclarecimento, e o que encontrei, um povo evoluído constituído de conhecimento puro. Eu cheguei na terra com a chave de abertura da corrente mestra na mente, sim, a chegada destes grandes iniciados pela força de um comando na terra possibilitará a formação de um novo continente. Eu vim emitindo desde lá onde eu estava até chegar no meu assentamento. “Oh! Grande Oriente de Oxalá… !”.

 

Ao reparar que em cada mão deste povo havia inscrições diferentes umas das outras eu fiquei registrando os desmembramentos desta organização. A superioridade deles em me receber como um ser da dimensão inferior me deu a conotação que nosso sofrimento é pela recuperação do que tínhamos e perdemos. Nós éramos seres mais evoluídos, mas aos poucos pela variação temperamental humana fomos distorcendo a nossa realidade. Fomos perdendo o convívio que estabelecia um marco civilizatório. Fomos caindo gradativamente nas redes do destino karmico que fechou a sua porta de contato.

 

Assim foi ontem e assim será o amanhã. Muitos estão entrando no ciclo mais inferior com a degradação humana. Ao invés de subir estão descendo e logo perderão a luz pela escuridão. Serão tragados pelas trevas do seu próprio destino. Não sei se haverá tempo hábil de mudar cada encarnado, mas Pai Seta Branca tem feito tudo que é possível para alertar e com muito amor mostrar o caminho da recuperação.

 

Muitos gostam de rever seus quadros espirituais pintando imagens de saudosos espectadores da mudança espiritual. Gostam de se vestir pela variação do destino karmico que ficou lá atrás. Gostam de suas fantasias exuberantes de uma vida preciosa, mas que nada resolveu em seus destinos. O viver do passado impede de avançar no futuro. Eu diria, é bom, mas devemos ter consciência de onde estamos, do plano que frequentamos e da nossa participação nos futuros eventos. As velhas estradas influenciam na nova como um cadeado que prende sua evolução.

 

Eu não sei se me acostumaria a viver neste plano de iniciados. É diferente, é fluídico. Talvez o dia em que eu partir da terra meu espírito se conscientize de sua realidade, mas por enquanto eu vivo no planeta barulho. A gente vai se acostumando com os zumbidos na audição. Sinal que estamos vivos.

 

Eu, ao buscar esta fração do despertar do eu interior, trouxe para os trabalhos esta superação incondicional. Vamos então formalizar junto ao Simiromba de Deus a conquista de mais um segredo esquecido pela eternidade. Nós éramos felizes e não sabíamos.

 

Boa sorte aos meus irmãos!

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

25.03.2017

Deixe uma resposta