COBRADOR DO COBRADOR

Salve Deus!

 

As dividas se acumulam, não se desintegram.

 

Os espíritos cegos, surdos e incompreendidos atuam na deformação do ambiente positivo, tornando uma malha de dificuldades para poderem permanecer grudados as suas vitimas.

 

Este espírito algoz que tanto dá trabalho é um espírito encarnado, uma vitima do passado que mesmo tendo todo esclarecimento da verdade ainda assim continua seu triste propósito de condenar. Eu fico observando a reação que não esconde seus intentos agravando mais a sua participação nesta terrível obra de vingança.

 

Quanto mais ele faz para prejudicar, mais ele cria para si o status de justiceiro. No findar desta encarnação quem vai ter que pagar esta cobrança será ele que não teve força para perdoar. Ele faz de tudo para fechar, para impedir o crescimento material, mas espiritualmente ele nada pode fazer para barrar o que se recebe diretamente de Deus.

 

Esta noite eu vi este quadro involutivo de enfermidades. Agora ele está bem, está com carga total e pode investir contra quem o amou. Quando ele estava entregue sendo cobrado também pelas suas vitimas do passado, ele havia esquecido, era então somente uma vitima. Mas a roupagem espiritual é de oitenta em oitenta dias e logo ela irá mudar de novo, aí sim, haverá liberdade temporariamente, até que as cobranças deste espírito encarnado amenizem e ele passe novamente a atuar.

 

Jesus já havia se referido a esta passagem, dando a entender que o perdão seria a melhor forma de se chegar a Deus. Se alguém lhe der tapa no rosto, vire o outro lado. Mas o ser humano revida de forma violenta chegando às vias de fato.

 

Geralmente os encarnados só dão valor quando perdem seu grande amor, ou aquilo que tanto amam. Depois passam a correr atrás como se nada tivesse acontecido. Seria tão melhor se na hora da cobrança tivesse baixado sua cabeça em sinal de respeito, há que enfrentar suas juras sem amor.

 

Assim é que acontece nesta maravilha de cenário espiritual. Espíritos se fazem de amigos para infiltrar em sua individualidade, depois, eles saem da couraça e passam a ditar as suas regras. Quem acolheu passa a ser reprimido, passa a ser o bandido da história.

 

Não enganem e nem se enganem. A liberdade mesmo que provisória é assistida pelo mundo que se descortina no limiar deste terceiro milênio.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

08.03.2017

Deixe uma resposta