VAZIO

Salve Deus!

 

Um grande vazio. O que está acontecendo com nossa missão!

 

Estamos a ponto de perder tudo que conquistamos pela irresponsabilidade de alguns jaguares, porque a doutrina se mercantilizou a ponto de sofrer um arraste sem consequências nos valores primordiais a vida humana.

 

Eu estou vendo os quadros que se complicam dia-a-dia e sem respostas diretas do espiritual os homens estão matando a força decrescente. Ontem eu vi um Pai preocupado com o vandalismo cristão que a terra está entrelaçando no circulo esotérico. Ele perguntou se haveria consagração, porque, meus irmãos, nós estamos pelo fio da navalha, modo de dizer, onde a consequência de um desastre social poderá acarretar muitas dores e revoltas.

 

Meu Pai Seta Branca, nosso Pai de amor e luz. Eu vejo que não há alternativa para findar este período de convulsão onde os espíritos armados pelo desejo de conquistas estão se prendendo ao materialismo. Cadê as conquistas espirituais, cadê o amor que estava aqui. Não. Não posso contradizer uma mãe gentil que fez de sua própria vida o seu túmulo por amar demais.

 

O mundo espiritual está se combatendo, estão se enfrentando. De um lado a luz e do outro as trevas. Grandes batalhas de ódio e amor, porque a aresta do nosso convívio físico vai receber em contrapartida os bônus desta batalha para quem estiver do lado certo ou do lado errado. Positivo ou negativo. Escolha o seu lado antes que seja tarde demais.

 

Os desajustes nesta sociedade espiritualista é uma força decrescente que atinge de modo separado as ramas de sua raiz. Os esforços de muitos jaguares em manter viva e acesa esta chama começa a cair no esgoto do esquecimento. Os velórios serão muitos na concepção do espírito livre das amarras da terra.

 

Este vazio se chama força migratória, estão reformulando os cristais da verdade sob o julgo de um Deus pagão. As espadas então serão recolhidas e os bônus pagarão a sua ultima visão de um mundo conturbado. A verdade foi trocada pela desonestidade. O homem perdeu seu caminho e a sua pena será tão dura quanto o seu coração. Quanto mais materialista, mais o seu peso aumenta.

 

Eu vi ontem no templo um Pai preocupado com seus filhos. Meu Deus. O que vai ser preciso fazer para mudar o roteiro desta viagem. Será preciso que o céu caia sobre estas cabeças, que estas enormes placas impregnadas pelo mediunismo desçam. Que arrasem os quartéis dos falsos profetas que se intitularam donos da verdade.

 

Que poder é este que uns dizem ser donos. Que verdade é esta que se esconde no calabouço da enfermidade. A quem pertence à força do sol e da lua. Transcendentalidade dos imortais de Amon-Ra. Quem viveu o Egito, as duras penas de uma conquista milenar, sabe do que eu falo. Naquele tempo havia separação, pois o povo em si não compreendia esta ligação do céu com a terra. Foi preciso que os escolhidos fossem exaltados como Reis para que não se perdesse a colheita. Reciprocidade.

 

As forças estão sendo recolhidas porque os homens se perderam novamente nesta encruzilhada do destino carmico. São palavras minhas pelo que eu vejo e vi neste trabalho. O templo vazio de médiuns, mas uma grande força presente, a constelação vibrava neste dia, muitas forças, um poder inigualável, a formação do sol simétrico. Havia luz, havia energia, mas o vazio se camuflava no coração. Estão separando as forças, desindividualizando, estão criando várias raízes e poucas ramas. Uma árvore que não de bons frutos deverá ser cortada pela sua raiz, disse Jesus. Ela irá secar aos poucos, até que seu caule vire alimento para o fogo, e este fogo queime em dois planos os restos de uma dinastia.

 

A quem Deus pertence!

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

23.02.2017

Deixe uma resposta