SETE PLANOS, SETE ORIXÁS, SETE PORTAIS

Salve Deus!

 

Quase morri esta noite, pois foi algo que eu não esperava. O espírito estava aqui presente tendo que me mudar, sair do quarto e ir para a sala.

 

Meu plexo parecia uma pedra, não havia circulação, estava pesado, parecia que iria explodir. Fiz minhas preces, fiz minhas sintonia, e nada. Ao deitar-me no sofá da sala eu fui transportado para fora do meu circulo espiritual. Eram sete planos e a força dos sete orixás formou os setes portais. Um portal em cada plano se interligando ao plano físico comigo.

 

Cada plano tem um orixá guardião que vibra na mesma intensidade com outros portais que se alternam na força das elipses. Eu vi a colocação de cada elipse nestes planos, pois foi um presente que recebi para completar meu aprendizado. Em cada um destes portais os orixás vibram na alternância do mundo na relação de unificar os valores do céu com a terra.

 

Ainda estou sentindo os efeitos desta viagem. Ainda sinto meu plexo físico empedrado pela força que se transferiu de um para outro. Eles formam um elo magnético que sobe e desce e ao se interligarem abrem o contato estelar. Este campo magnético tende a crescer pela vibração do sol interior e da lua exterior. O fogo etérico começara então a queimar na atmosfera densa as cargas negativas do padrão mental. Veremos fumaça sem fogo, um sinal de preocupação para muitos encarnados, mas ainda não é à hora, haverá a comprovação da presença de outras fontes de sabedoria entre os paralelos.

 

_ Vou morrer meu Deus!

 

Eu cruzei a linha da morte mais uma vez para poder formar esta lança que encanta e derrama sobre nossas cabeças a energia fluídica. Fui longe, sete planos, sete orixás, sete portais. O que significa isso, ainda eu não sei, mas começou aqui e não sei aonde vai terminar. Eu sei que para ganhar este respeito é preciso ter consciência de suas metas carmicas e espirituais. Não é meu, mas de Deus, dos mundos mais evoluídos. Eu tenho o meu portal, mas agora a responsabilidade ficou bem maior, pois em contato com outros pontos de força pelo universo a coisa ficou mais séria.

 

Os orixás me chamaram pela individualidade, um em cada um dos seus planos, tendo que me transportar para formar a sincronização e abrir o comando desta rica contagem das estrelas. Quase que não aguentei a carga desta unificação, era muito forte para um encarnado desdobrado. Mas tive que sustentar para poder liberar a energia resultante da movimentação atômica. Cada dia mais e mais conhecimento estou absorvendo e não sei quando isso irá chegar ao fim, porque não tem fim, nem começo, estamos no meio.

 

A nossa missão resulta no que compreendemos da luta do bem contra o mal. Muitos lutam sem ter noção de qual luta estão travando. Todos estão gastando energia vital para chegar a um caminho sem ter certeza que aquele caminho é o certo. Eu já tive muitas duvidas, mas elas são apagadas pela visão dos fatos e acontecimentos. Ter duvida é ter firmeza de missão, pois somente um cientista espiritual vai buscar respostas para suas incertezas. Quando um médium não tem duvidas ele se perde e acaba deixando a luz pelas sombras. Não o duvidar, mas o buscar respostas na fonte de inspiração que é Deus.

 

Aquele que tem dúvidas chegará mais longe dos que já não tem. A esperança está na duvida, isso é que move a força do amor, da compreensão e da transformação. Não digo generalizar tudo em duvida, mas ter certeza de não ficar parado esperando a morte chegar. A morte não tem voz.

 

A sua duvida merece resposta e a resposta virá somente do céu, como disse Seta Branca. Somente dos céus ouvireis.

 

Feliz aniversário Pai Seta Branca!

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

14.02.2017

Deixe uma resposta