ETERNO PRISIONEIRO

Salve Deus!

 

Ser presidente de um templo é se tornar prisioneiro de uma missão, talvez um pagamento pela vaidade de ser.

 

Quando eu assumi esta jornada de comando, eu recebi de Seta Branca esta autorização, mas quando Tia Neiva voltou ao seu estado natural e olhando para meus olhos ela me perguntou mentalmente se realmente eu trocaria minha liberdade para assumir este compromisso com o Pai. Balancei minha cabeça que sim, porque eu jurei nos planos de Deus avaliar minha conduta evolutiva e somente nesta escola do caminheiro eu teria as provações do meu destino.

 

Eu tive muitas realizações esta noite. Os espíritos estão eufóricos para saber, para desvendar seus enigmas, mas não se preocupam nem por um momento com suas famílias. Esquece-se que são partes de um plano de redenção cristica. Muitos irmãos e irmãs vêem espiritualmente ao meu encontro buscando em mim o que tem neles. A falta de fé, de confiança em si mesmo, os torna marionetes do próprio destino.

 

Eu achei uma brecha nesta procura e fui viajar. Cheguei na mata frondosa e olhando para uma grande montanha ela foi ficando vermelha e do cume começou a sair uma fumaça preta. De repente ela começou a chorar lágrimas de fogo. Eu fiquei observando a força da natureza, que não mais aguentando a pressão interna explode. Assim também é o ser humano que vive sob uma pressão desnecessária e quando não mais suportando vomita tudo pra fora.

 

Esta visão noturna que dizemos, é a maravilha dos cenários que trabalhamos no lusco fusco da materialidade. Espíritos interligados pelo físico estando amarrados ao corpo pela força de uma missão. Ser ou não ser, pois a tríplice conjuntura de formas e sons nos atinge pela madrugada é como se uivos fossem ouvidos e repartidos pelo silencio do sol interior. Alguém já escutou ou ouviu seu sol interior vibrar a melodia do seu caminho. Pois é, poucos, porque seus ouvidos estão cheios de terra, cheios de preguiça de desenferrujar seus sentidos proféticos.

 

Eu não busco uma identidade, eu busco o meu coração. Ser alguém que não seja é uma vida duvidosa, porque mata a ilusão.

 

Estou aqui escrevendo e um espírito chegou. Um grande mestre que ensinou a muitos com as bênçãos de Koatay 108 e Seta Branca. Mestre Caldeira, um espírito que hoje tem sua regalia. Como ele esta diferente, está mais bonito, jovem, e iluminado. Eu, um dia queria ser como ele, doutor honoris causa, ou notório saber. Sim, mestres jaguares, o que importa é o grau de conhecimento adquirido nesta roupagem. Sem ferir os seres humanos ele ensinava com habilidade de um mestre.

 

Tem muitos espíritos que desencarnaram que vieram me procurar, como se fosse um teste de mediunidade, pois eles queriam uma comunicação com os encarnados deste planeta. Eu não vou atrás, eles vêm até aqui pela sintonia do mental traduzido em ondas magnéticas que se espalham pelo universo. Quando ainda as galáxias se comunicavam entre si pela força do pensamento. Éramos nobres seres de uma evolução científica que ao atravessar a pesada onda magnética perderam seus dons divinos e se recolheram na sua individualidade. Mesmo assim uns poucos ainda cultivam este dom maravilhoso de se comunicar com outros da mesma sintonia e intensidade.

 

 

Quando houve a primeira explosão o magma escorreu pela montanha vermelha. Eu saí pelo barulho e aquecimento que resultou nesta viagem pelo paraíso agora em chamas. O que mais me preocupa é com o que vai acontecer daqui para frente, porque temos a visão detalhada dos fatos e das noticias. Tudo é alarmante quando se tem a visão noturna.

 

Eu voltei e os espíritos ainda estavam ao meu redor, me esperando, queriam saber de tudo. Eu me calei, porque a situação é invertida pela curiosidade animal. Querem calar a minha voz espiritual, mas ninguém pode impedir do espírito transitar pelo universo. Podem sim matar o corpo físico, mas não o sol interior.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

30.01.2017

4 thoughts on “ETERNO PRISIONEIRO

  1. Salve Deus meu irmão na luz!

    Mestre Betezek,

    Conheço vc mestre, irmão a alguns anos, e sempre repassei e repasso a suas histórias que vc busca longe e as vezes vem até vc, histórias essas que traz esclarecimentos, orientação.

    E desde que eu mestre Fernando Ladeia, Adjunto-Ytagi, comecei a caminhar no Vale do Amanhecer desde 1988, agradeço a meu querido Pai Seta Branca, por eu já ter evoluído bem, me ajudou na minha caminhada neste carreiro terrestre, e muito.

    Muita luz na sua caminhada.

    Salve Deus!

Deixe uma resposta